BRASIL E UM CERTO SORVETE DE BRIGADEIRO

Divulgação
Como todos já sabem, Jamie Oliver ficou um pouco brasileiro. O premiado chef inglês e conhecido pelo uso de alimentos naturais e orgânicos em seus pratos abriu, em março, a primeira unidade do Jamie’s Italian da América Latina, no bairro do Itaim, em São Paulo. Em conversa com o site Glamurama, o chef falou sobre a empreitada brasileira e ainda sobre como sua dislexia o tornou um chef de cozinha.

*   *   *

Por que você escolheu São Paulo para abrir seu primeiro restaurante na América do Sul?

Jamie Oliver:  Eu já queria abrir um restaurante no Brasil há tempos. É um país que admiro muito e a minha visita no ano passado solidificou esse sentimento. Mas não foi fácil. Não basta apenas enviar uma equipe para encontrar um local para abrir o restaurante. Tivemos de criar uma parceria com a equipe certa para assegurar todas as peculiaridades do país, que nosso time inglês não tinha. O Marcel [Gholmieh] e o Lisandro [Lauretti] têm sido brilhantes e estou muito orgulhoso com o que eles conquistaram.

O que é mais atrativo na culinária brasileira?

Tive muita sorte de visitar o Rio no ano passado. Fui com o Almir Santos, um dos meus melhores amigos. Além de brasileiro, ele é um chef fantástico. Me levou para um monte de restaurantes fantásticos e me apresentou pratos incríveis. Adorei a moqueca e a feijoada, tanto que coloquei a receita no meu livro Comfort Food” (Comida Caseira, Globo Estilo).

O restaurante vai ter algum sabor brasileiro especial?

O menu do Jamie’s Italian será quase idêntico ao do Reino Unido, mas vamos, sim, acenar para os sabores brasileiros. Meus chefs estão trabalhando, por exemplo, em um sorvete especial de brigadeiro.

Você já disse que é disléxico. Isso o aproximou da culinária?

Acho que sim. Nunca fui particularmente acadêmico na escola, então tive de olhar para outras direções. Cresci no pub dos meus pais e, por isso, a culinária sempre fez parte da minha vida. Cozinhar e ser criativo com os ingredientes apropriados sempre sempre foram coisas que eu gostei, além de ser bom nisso. Foi uma decisão muito natural escolher faculdade de gastronomia.

Quais são os maiores prazerem em ser um chef?

Para mim é descobrir novos sabores e fornecedores. Há pessoas incríveis fazendo coisas maravilhosas com produtos artesanais e isso é a parte mais desafiadora do meu trabalho.

 *  *   *
restaurante no Brasil

Jamie’s Italian abriu as portas ao público em março de 2015, quando os sócios brasileiros Lisandro Lauretti, Bruno Laporta, Carlo Gadia, Diego Sala, Marcel Gholmieh e Marcelo Goldfarb armaram uma festa fechada de inauguração, para 250 convidados. 

Com 500 metros quadrados de área construída, dividido em dois pisos, o restaurante possui um bar, estação de massas, área de antepasto e salão com portas e teto retrátil. No superior, o mezzanino acomoda até 50 pessoas e conta ainda com a cozinha, onde os clientes podem acompanhar de perto todos os preparos.

O projeto arquitetônico é assinado pelo escritório de arquitetura Stiff + Trevillion em parceria com o departamento Design & Build do Jamie´s Italian, ambos com sede em Londres.

A equipe, formada por 100 pessoas, recebeu treinamento em São Paulo do time inglês de Jamie Oliver. Entre setembro e novembro de 2014, um grupo de 10 pessoas (chefs, subchefs e gerentes) também foi treinado pelo time de Jamie na capital inglesa.

O Jamie´s Italian São Paulo é o 51º restaurante da marca e o primeiro das Américas. O Jamie´s Italian número 1 foi inaugurado em 2008, na cidade de Oxford, Inglaterra. Atualmente são 36 no Reino Unido e 15 filiais em países como Austrália, China, Emirados Árabes e Singapura.
A partir de Glamurama. Leia no original

0 comentários: